BAIXA APROVAÇÃO DA GESTÃO DE VANUZA VALADARES COLOCA EM XEQUE CANDIDATURA DE GIVAGO VALADARES PARA DEPUTADO

Jornalista Sheilismar Ribeiro trai Márcio Luis, entra para o grupo político da prefeita, e deve disputar internamente o direito de sair candidata com aval dos aliados

04/04/2022 – 21h23

A jornalista Sheilismar Ribeiro, pré-candidata a deputada estadual, trocou o MDB pelo PRTB no último dia da janela partidária. A movimentação da jornalista foi tema de discussão essa semana nas principais rodas políticas de Porangatu, no Norte goiano, base eleitoral de Sheilismar Ribeiro.

A filiação pegou de surpresa o ex-candidato a prefeito pelo município, Márcio Luis (MDB), que tinha Sheilismar Ribeiro no roll de seus principais aliados políticos. Também surpreendeu o filho da prefeita de Porangatu, Vanuza Valadares (Podemos), Givago Valadares (PRTB), mesmo partido da recém-filiada Sheilismar Ribeiro. Agora, Sheilismar e Givago vão disputar internamente quem será o candidato a deputado estadual pelo grupo na eleição deste ano.

De acordo com uma fonte ouvida pelo O Estado de Goiás, Givago entrou em rota de colisão com o grupo político da prefeita. Aliados de Vanuza Valadares têm receio dos resultados de uma pesquisa interna, segundo a qual os níveis de aprovação da prefeita estariam menores que o percentual dos que rejeitam sua performance administrativa, que teria cerca de 72% de reprovação da sua administração entre os porangatuenses.

“Será difícil a prefeita pedir votos para seu filho, uma vez que sua gestão está muito mal avaliada”, explica a fonte. “A vinda da Sheilismar, portanto, para o grupo da prefeita, está sendo vista como a única opção de ter uma candidatura com algum grau de competitividade”, avalia.

Jornalista Sheilismar Ribeiro trai Márcio Luis, entra para o grupo político da prefeita, e deve disputar internamente o direito de sair candidata com aval dos aliados

Patinando nas pesquisas – De acordo com a fonte, as últimas pesquisas realizadas pelo grupo político da prefeita apontam Givago Valadares estacionado com 2% nas intenções de votos para concorrer a uma vaga na Assembleia Legislativa. “Parece que a prefeita resolveu mudar o rumo da prosa e não lançar o filho para deputado estadual com medo de uma votação vexatória”, eplica. “Um resultado negativo pode revelar a falta de apoio popular à gestão dela e, com isso, comprometer a reeleição”, aponta. “Hoje, a prefeita não teria a metade dos votos que teve. As pedras estão no xadrez, porém as traições estão à solta e o maior traído é o Márcio Luis e o presidente do MDB, Daniel Vilela. Vamos aguardamos os próximos capítulos”, projeta.

Tags: